Mau Hálito

O mau hálito é um assunto muito delicado de ser tratado, pois pode ter um efeito devastador a saúde psíquica e emocional das pessoas! Embora seja um assunto de atuação interdisciplinar, ou seja, que possa ser tratado por diferentes especialidades, de acordo com os estudos mais recentes, mais de 90% dos casos são de ORIGEM BUCAL!!
 
Agora como saber se você tem mau hálito ou como avisar alguém que está com mau hálito?? Essas são questões bastante difíceis!
 
A pessoa com mau hálito se acostuma com o próprio cheiro (fadiga olfativa) e mesmo se estiver muito forte não consegue perceber, mas as pessoas que convivem com ela sentem e ficam constrangidas em avisá-la… É muito complicado!! 
Você vai sempre dando um passo para trás, outro passo para trás… até que chega na parede e você não sabe mais o que fazer, porque não aguenta ficar sentindo aquele cheiro! O portador começa a perceber as pessoas se afastando, evitando conversas e fica sem entender, pode ficar chateado e até desenvolver um caso de depressão! 
Por isso, não podemos ficar parados em relação a esse mau que parece simples, mas que pode causar tantos impactos na vida das pessoas… 
A melhor forma de resolver é PERGUNTAR! Pergunte para pessoas próximas se você está com mau hálito, fale pra elas serem honestas, que você não vai se chatear, explique que você precisa da opinião delas para poder resolver esse problema, que não será uma ofensa e sim uma grande ajuda.
Se você convive com alguma pessoa querida, que sofra desse mau, não deixe que ela fique passando por constrangimentos, tome o primeiro passo, com delicadeza, fale que você está percebendo que o hálito dela está diferente do habitual, dê um toque!! 

Hoje em dia existem até outros meios de ajudar essas pessoas, como por exemplo o S.O.S mau hálito, onde você pode fazer uma “denúncia” anônima e assim não ter que conviver com o mau hálito de um chef por exemplo.

O dentista será o seu melhor aliado na resolução desse problema!!
 
Anna Karolina Sampaio Silva

De onde vem o mau-hálito?

Você sabia que 90% dos casos de mau-hálito tem origem bucal?

Pois é!!

O mau-hálito está relacionado em sua maioria por compostos de sulforatos voláteis, produzidos a base de enxofre por algumas bactérias encontradas na cavidade oral.

Elas conseguem metabolizar a matéria orgânica que fica acumulada na boca e que produzem esses compostos responsáveis pelo mau cheiro.

alito_cattivoEntre as doenças que promovem o aumento das bactérias causadoras do mau hálito, destaca-se a gengivite como sendo uma das mais frequentes. Também conhecida como doença periodontal, ela causa a inflamação da gengiva pelo acúmulo de placa bacteriana e restos de comida.

Fonte: IG

O mau hálito pode ser devastador

O mau hálito é um assunto muito delicado de ser tratado, pois pode ter um efeito devastador a saúde psíquica e emocional das pessoas! Embora seja um assunto de atuação interdisciplinar, ou seja, que possa ser tratado por diferentes especialidades, de acordo com os estudos mais recentes, mais de 90% dos casos são de ORIGEM BUCAL!!
Agora como saber se você tem mau hálito ou como avisar alguém que está com mau hálito?? Essas são questões bastante difíceis!
imgresA pessoa com mau hálito se acostuma com o próprio cheiro (fadiga olfativa) e mesmo se estiver muito forte não consegue perceber, mas as pessoas que convivem com ela sentem e ficam constrangidas em avisá-la… É muito complicado!!
Você vai sempre dando um passo para trás, outro passo para trás… até que chega na parede e você não sabe mais o que fazer, porque não aguenta ficar sentindo aquele cheiro! O portador começa a perceber as pessoas se afastando, evitando conversas e fica sem entender, pode ficar chateado e até desenvolver um caso de depressão!
Por isso, não podemos ficar parados em relação a esse mau que parece simples, mas que pode causar tantos impactos na vida das pessoas…
A melhor forma de resolver é PERGUNTAR! Pergunte para pessoas próximas se você está com mau hálito, fale pra elas serem honestas, que você não vai se chatear, explique que você precisa da opinião delas para poder resolver esse problema, que não será uma ofensa e sim uma grande ajuda.
Natural Remedies for Bad Breath - Solutions

Natural Remedies for Bad Breath – Solutions

Se você convive com alguma pessoa querida, que sofra desse mau, não deixe que ela fique passando por constrangimentos, tome o primeiro passo, com delicadeza, fale que você está percebendo que o hálito dela está diferente do habitual, dê um toque!!

Hoje em dia existem até outros meios de ajudar essas pessoas, como por exemplo o S.O.S mau hálito, onde você pode fazer uma “denúncia” anônima” e assim não ter que conviver com o mau hálito de um chef por exemplo.
O dentista será o seu melhor aliado na resolução desse problema!!
Anna Karolina Sampaio Silva

Óleo de Melaleuca pode combater o mau-hálito

A informação da ABH, Associação Brasileira de Halitose, diz que 50 milhões de brasileiros sofrem deste mal. A HALITOSE!!

Pesquisadores da UNICAMP, descobriram que o óleo de melaleuca (um poderoso antibactericida) é eficaz no combate às causas do mau hálito. Este óleo essencial também é utilizado para tratar pele e cabelos.

A melaleuca é uma planta de origem australiana e seu uso medicinal caiu no gosto popular, sendo, inclusive, adotada por populares e por fitoterapeutas para promover a saúde bucal. E como falei que é bom para pele e cabelos, ele também ajuda combater a caspa e a acne.

Natural Remedies for Bad Breath - Solutions

Natural Remedies for Bad Breath – Solutions

Ainda falta respaldo científico para todas as suas funcionalidades – é importante destacar que o estudo da Unicamp analisou apenas a relação do óleo quanto ao mau hálito.

 

 

Conclusão: mais estudos ainda são necessários

Fonte: IG

 

Saburra lingual e o mau hálito

Saburra lingual e o mau hálitoA saburra lingual (ou biofilme) é uma placa bacteriana que reveste o dorso da língua deixando-a esbranquiçada, amarelada ou amarronzada. Além disso, ela é a principal causa do mau hálito.

Essa placa bacteriana é causada quando há a diminuição da produção de saliva, ressecamento da boca ou descamação da mucosa. Línguas que apresentam muitas fissuras são as mais propícias de apresentar o problema.

Pessoas com saburra lingual apresentam diversos sintomas, como a língua áspera, mudança na coloração, alterações no paladar e, como já dito, mau hálito.

O diagnóstico pode ser feito por seu dentista que é capaz de reconhecer o problema pela aparência da boca. E, em alguns casos, é necessário fazer uma investigação mais profunda porque a condição pode indicar doenças mais graves.Saburra lingual e o mau hálito

A prevenção pode ser feita por meio do aumento do fluxo salivar ou a diminuição da descamação da mucosa, através do tratamento adequado que será aconselhado por seu dentista. E, claro, fazer a higienização bucal (escovando a língua) é uma boa maneira de evitar o transtorno.

No mercado há diversas opções de produtos e limpadores linguais que podem auxiliar na limpeza.

A maneira correta de usar enxaguante bucal

A maneira correta de usar enxaguante bucalHá quem diga que eles são imprescindíveis para uma boa higiene, mas, na verdade, a maneira correta de usar enxaguante bucal é sempre sob a orientação de um dentista. Isso porque, o uso indiscriminado pode ser nulo e até prejudicial.

Normalmente eles são indicados para pessoas que sofrem de problemas periodontais como, predisposição a cáries, dentes sensíveis ou à pacientes em fase de pós-operatório.

Alguns antissépticos – principalmente os de sabor muito forte – causam um ardor e nos passa a impressão de hálito fresco e eliminação de germes e bactérias instantaneamente.

Mas a realidade é que esse tipo de produto costuma ter em sua composição álcool, substância que deve ser evitada a qualquer custo, porque resseca a mucosa, inibe as papilas gustativas (diminuindo o paladar) e pode até propiciar o mau hálito.

Você leu certo! O uso errado de enxaguatórios pode acarretar a formação da saburra lingual – placA maneira correta de usar enxaguante bucala bacteriana, em forma de capa esbranquiçada sobre a língua – que é principal causa da halitose. E não para por aí, o álcool também aumenta os ricos de câncer de boca.

E especialistas garantem: quem não apresenta propensão a doenças periodontais, faz corretamente a higienização bucal e passa pelo dentista periodicamente (o ideal é de seis em seis meses) não precisa usar o enxaguante.

E você faz uso contínuo do produto sem a prescrição do seu dentista?

Conheça 10 mentiras que contam sobre saúde bucal

http://saude.terra.com.br/saude-bucal/atualidades/10-mentiras-que-contam-sobre-saude-bucal,3a2cb9f5bd96dbaa220ea569d3e0a48eaxlwcbnn.html

1 – A perda dos dentes é consequência natural do envelhecimento.
MITO! A perda dentária é consequência de doenças gengivais maltratadas, traumas e composição genética. Com tratamento de prevenção é possível chegar à terceira idade com todos os dentes na boca.

dental-implants-costa-rica-treatment2 – O uso de implantes ou próteses totais (dentadura) não precisam de controle periódico no dentista.
MITO! Os implantes dentários precisam da mesma manutenção gengival e descontaminação semestral dos dentes. Pacientes com próteses também devem fazer visitas regulares para avaliação da adaptação e dos tecidos moles, como gengivas e bochecha.

3 – Não vou ao dentista porque não sinto dor.
MITO! A ausência de dor infelizmente, não significa ausência de problemas bucais. A doença periodontal, por exemplo, que é a inflamação gengival, não costuma doer, a não ser em casos já avançados.

4 – Bebês que ainda não têm dentes não precisam fazer higiene oral.
MITO! Mesmo sem dentes é importante que os pais façam limpeza da gengiva e região com uma gaze umedecida.

5 – Mau hálito é problema de estômago.
MITO! O mau hálito pode ter origem local, sistêmica ou ainda ser causada pelos dois fatores associados. Problemas estomacais como gastrite ou úlcera não provocam mau hálito. Em geral, o mau hálito é provocado por problemas decorrentes de higiene oral malfeita ou infecção nas vias aéreas superiores.

article-1113422-0308B1E1000005DC-968_468x3326 – Tudo bem, de vez em quando, usar apenas antisséptico oral em vez de escovar os dentes.
MITO! Uma boa higiene depende principalmente de escova e fio dental. Os antissépticos são coadjuvantes, mantendo o hálito puro e refrescante por mais tempo. Dê sempre preferência a um produto que não contenha álcool.

7 – O clareamento dental caseiro ou com aplicação de laser desgasta a estrutura do esmalte dos dentes.
MITO! O processo de clareamento atua nas partículas que colorem o dente sem provocar qualquer tipo de desgaste ou dano à estrutura dentária.

8 – O herpes labial pode ser mais rapidamente curada com o uso de pomadas específicas.
MITO! Geralmente o vírus do herpes precisa cumprir seu ciclo de 7 a 14 dias, independentemente do uso de medicação, a não ser que sua presença seja detectada logo no 1º dia de manifestação. Neste caso, teremos o processo de cura e cicatrização acelerado.

9 – Restaurações em resina tem maior possibilidade de fratura e infiltração que restaurações em amálgama.
MITO! Hoje, contamos com resinas resistentes e preparadas para receber grandes esforços mastigatórios, que não deixam a desejar em nada em termos de resistência e adaptação para as antigas restaurações metálicas.

10 – Próteses removíveis desgastam e estragam os dentes com o tempo.
MITO! Isso não acontece desde que estejam bem adaptadas, feitas dentro da técnica adequada e com correta escovação diária.

Crianca-no-dentista11 – Se o dente de leite do meu filho não cair sozinho, não devo me preocupar com ele.

MITO! Os dentes de leite, ou decíduos, são temporários e servem como guia para a erupção dos permanentes. Sempre que houver qualquer dúvida por parte dos pais, um odontopediatra deve ser consultado.

12 – Todos temos que remover os sisos antes mesmo que eles nasçam.
MITO! Os sisos só devem ser removidos quando for detectada a ausência de espaço para eles ou se seu nascimento implicar em mal posicionamento dos demais elementos.

13 – Quanto maior e mais dura for a escova dental, melhor é a limpeza.
MITO! Na realidade, a escova dental deve ser pequena ou média para alcançar qualquer região da nossa boca. Deve também ter cerdas macias para não machucar a gengiva.

Escovar os dentes aumenta a autoconfiança

Escovar os dentes após cada refeição é uma parte regular da rotina de todos. É um grande investimento em si mesmo, não só para sua saúde bucal, mas também para sua autoconfiança. Quando você se sente bem com você mesmo, sua confiança aumenta em qualquer situação. Aqui estão algumas maneiras de como escovar os dentes pode levar a maior autoconfiança.

nutricion-fluor-668x400x80xXDeixe uma impressão duradoura com seu sorriso

Uma das primeiras coisas que as pessoas notam em você é seu sorriso. É uma coisa que todos temos consciência, quando você se sente bem quanto a seu sorriso automaticamente tem mais confiança em si mesmo. Então, você definitivamente deve fazer seu sorriso trabalhar por você fazendo da escovação uma parte regular da sua rotina. A fim de manter seu sorriso em dia, você primeiro deve começar com a escova de dente. Você só consegue uma boa escovação se usar uma escova de dente adequada a suas necessidades e recomendada pelo seu dentista.

Ter uma boa conversa começa com um hálito fresco

Não há nada mais embaraçoso que desagradar uma pessoa com quem você conversa com seu hálito não tão agradável. Quando você tem mau hálito, não só você fica envergonhado, como também fica menos propenso a falar algo quando a oportunidade perfeita aparece para compartilhar algum pensamento inspirado com seus amigos e colegas.

Existem muitas coisas que você pode fazer para efetivamente tratar seu hálito. Além de escovar os dentes toda noite, escovar sua língua pode ajudar a matar muitas bactérias que causam o mau hálito.

Ter uma boa rotina de cuidados dentais levará a grandes mudanças em sua saúde bucal e ajudará a aumentar sua confiança. Com um grande sorriso e um hálito limpo e fresco você estará pronto para sair pelo mundo.

Fonte: Flickr

Dentes saudáveis: acerte na alimentação do seu filho

Para que o seu bebê tenha uma dentição forte e saudável, é fundamental que alguns cuidados sejam tomados desde a gravidez até a escolha dos alimentos já no primeiro ano de vida da criança. Durante a gravidez a dieta deve ser rica em vitaminas e minerais, fundamentais para oxigenar e nutrir o feto e contribuem para a formação dos ossos e dentes.

saudebucaldietabeberepreNessa fase, e indicado o consumo de alimentos com vitamina D e cálcio, como salmão, leite e derivados, gema e cereais integrais, importantes para a formação óssea e dentária do bebê. A vitamina A, como couve e vegetais amarelos, auxiliam na formação do germe dentário, que dá origem aos dentes de leite e permanentes.

Importância da amamentação para os dentes
O leite materno é o alimento mais completo e mais importante para o desenvolvimento e crescimento saudável do bebê. Além disso, ele é rico em vitaminas e minerais, (incluindo o cálcio) responsáveis pela formação dos dentes. Porém, a importância da amamentação vai muito além dos valores nutricionais do leite.

Durante a sucção do leite materno, a mandíbula se movimenta para frente e para trás. Esse movimento faz com que a articulação temporo-mandibular (ATM) receba estímulos constantes, promovendo o crescimento da mandíbula, que encontra a posição ideal para a erupção dos dentes de leite. Esse estímulo é responsável pelo desenvolvimento adequado da face, o que evitará problemas futuros de deglutição, mastigação, fonação e necessidade de tratamento ortodôntico.

Alimentação ideal
Até os seis meses, o bebê não precisa de mais nada além do leite materno, pois ele é rico e completo para suprir todas as necessidades fisiológicas e criação de anticorpos necessários para a proteção imunológica do bebê. Não é recomendado nem água antes dos seis meses.

A partir dos seis meses (quando os primeiros dentes começam a nascer) a introdução de alimentos deve ocorrer de forma gradual e ser acompanhada pela amamentação (que pode durar até os dois anos de idade). Introduza alimentos como: queijos amarelos (que deixam o pH da boca mais básico, auxiliam na reparação do esmalte e aumentam o fluxo salivar), leites e iogurtes (cálcio), papinhas a base de espinafre (ácido oxálico que melhora a metabolização do cálcio) e água (que auxilia na limpeza de resíduos e no aumento do fluxo salivar).

hard choiceAlimentos duros e fibrosos como maçã, cenoura, pêra também se tornam boas opções à medida que a criança começa a aprender a mastigar. A mastigação estimula o crescimento e desenvolvimento facial e orienta o posicionamento adequado para a erupção dos dentes permanentes nos arcos dentários. Além disso, a vitamina C ajuda a combater o acúmulo de placa.

Outras dicas
– Incentive sempre seu filho a comer frutas. Fazer saladas de frutas sem açúcar é saudável, faz bem para os dentes e ainda tem um colorido que atrai as crianças. Aliás, algumas frutas como o morango têm ácido málico, um adstringente natural que ajuda a tirar manchas dos dentes.

– A limonada (sem açúcar) também é uma forte aliada dos dentes. O limão tem poder adstringente e bactericida. Além de eliminar as bactérias da boca, ele ajuda a acabar com o mau hálito.

– Evite acostumar seu filho com refrigerantes e sucos de caixinhas. Essas bebidas são ricas em açúcar e podem causar cáries. Priorize água, chás ou sucos naturais, sempre sem açúcar. Bolachas e salgadinhos costumam ter um alto teor de açúcar, sódio e gordura e baixo teor nutritivo.

Fonte: Terra Saúde

Saiba como dizer que seu amigo está com aquele mau hálito

urlConviver com uma pessoa que tem mau hálito não é fácil. Mas, mais difícil que a convivência, é alertar que ela está com esse tipo de problema. Com medo de causar constrangimentos ou de se indispor no trabalho, muitos preferem se calar e, mesmo sem intenção, acabam isolando o portador da halitose que na maioria das vezes não sabe que sofre desse problema e fica sem entender o que está acontecendo.

Todo mundo merece ser alertado. Inicialmente a pessoa que recebe a notícia de que tem mau hálito fica envergonhada, revoltada e geralmente se afasta da pessoa que a alertou. Mas após processar o fato, pode procurar ajuda e livrar-se do mal. Após esse período é comum a reaproximação e o sentimento de agradecimento é imperioso. O alerta é um gesto de amor.

Para ajudar quem está passando por esse tipo de problema e não sabe como agir, aqui vão algumas dicas que podem fazer a diferença e acabar com o medo de situações constrangedoras.

segredoAmigo próximo, parente ou parceiro
Com esse tipo de pessoa há liberdade e intimidade, portanto não há segredos. Seja sincero e verdadeiro. Chame-o em separado e alerte-o sobre o problema. Para dar um ar ainda mais carinhoso para a conversa tente já trazer possíveis soluções como o nome de um médico especialista ou conte histórias bacanas de pessoas que você conhece que passaram pelo mesmo problema e hoje estão curados.

Colega de trabalho
Se faltar intimidade para fazer o alerta direto, opte por outros tipos de aviso. Para esses casos, vale deixar recadinhos anônimos na mesa de trabalho da pessoa com palavras claras, verdadeiras e sem brincadeiras. Se o portador do mau hálito for algum colega da faculdade, deixe um bilhete dentro do caderno ou do estojo dele. Nessa hora, vale usar a criatividade.

Apenas um conhecido
Se a pessoa que está sofrendo com a halitose não tem intimidade com você, mas mesmo assim você quer avisá-la sobre o problema, existe uma ferramenta chamada SOS Mau Hálito. Esse serviço está disponível no site da ABHA (Associação Brasileira de Halitose). Lá o denunciante indica o nome e o endereço (da residência ou eletrônico) de quem está com o mau hálito e tem sua identidade preservada. A ABHA entra em contato com a pessoa, após checar se as informações são verdadeiras. Um ótimo aliado

halitose-teste-você-tem-mau-hálitoSeu chefe
Mau hálito no meio corporativo é um dos casos mais complicados que existem, pois pode comprometer o futuro profissional de quem tem o problema ou de quem faz o alerta. Já vi colaboradores que foram dispensados por ter halitose e por não haver habilidade para solucionar o problema.

Por isso, quando o problema de hálito é com o chefe, o cuidado deve ser ainda maior. Recomendo não alertar diretamente o chefe. Leve esse assunto para a diretoria ou superiores. Eles, estando no mesmo nível hierárquico do chefe, conseguirão a melhor abordagem.
Dificuldade de aceitar o problema
Porém, apesar de todo o cuidado, a pessoa que sofre com o problema nem sempre está preparada para ouvir esse tipo de aviso e, além de reagir mal, acaba não aceitando a verdade. Existem pacientes que, dependendo do grau de alteração comportamental que desenvolvem, não conseguem enfrentar o problema. Quando percebemos isso logo no início do tratamento, os convidamos a aderir a terapia comportamental psicológica.

O segredo de um tratamento bem sucedido é um conjunto de fatores. O problema tem solução desde que seja conduzido por um profissional sério e comprometido e que tenha um portador disposto a colaborar com o tratamento. Além disso, os amigos e parceiros devem sempre respeitar, apoiar e tentar entender as dificuldades do portador.

Fonte: Terra Saúde