O que você precisa saber sobre o câncer de boca

A taxa de pessoas afetadas pelo câncer bucal aqui no Brasil tem crescido e, a cada ano, são registrados, aproximadamente, 14 mil novos diagnósticos. A doença é silenciosa e, na mO que você precisa saber sobre o câncer de bocaaioria das vezes, só é descoberta em um estágio avançado. Acontece que, se descoberto em fase inicial, o câncer de boca tem até 100% de chance de cura.

O problema atinge mais os homens e, aproveitando o movimento Novembro Azul (que tem o objetivo de conscientizar a população sobre as doenças masculinas) nós fizemos um resumo do que você precisa saber sobre o assunto.

O QUE É

É um tumor maligno que atinge a boca e parte da garganta e pode se desenvolver nos lábios, mucosas, gengivas, céu da boca, língua, amígdala e glândulas salivares.

CAUSAS

O cigarro e o álcool contribuem diretamente para o desenvolvimento do câncer bucal. Quem fuma e bebe excessivamente tem o maior risco de desenvolver a doença.

FATORES DE RISCO

Pessoas com mais de 40 anos que tenham o hábito de fumar e consumir álcool excessivamente são propícios à doença. A má higiene oral e o uso de próteses dentárias mal-adaptadas também podem ser fatores de risco.

SINTOMAS

O câncer de boca se manifesta em forma de feridas na boca ou no lábio que não cicatrizam, dor de garganta que não melhora, manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na parte interna da boca ou lábios. Em casos mais avançados é possível aparecer caroços no pescoço, perda de peso, dificuldade em falar ou engolir e mau hálito.

TRATAMENTO

O tratamento pode ser feito com cirurgia, radioterapia e métodos terapêuticos. Nas lesões iniciais, a cirurgia e a radioterapia apresentam bonsO que você precisa saber sobre o câncer de boca resultados.

PREVENÇÃO

Para diminuir o risco de ter um tumor maligno na boca é essencial reduzir ou evitar o consumo de álcool e fumo. Fazer corretamente a higiene bucal e ter uma alimentação balanceada e rica em frutas, legumes e verduras.

E não se esqueça: fazer visitas regulares ao dentista também é uma forma de prevenção.

 

Fumantes, inclusive passivos, precisam de mais anestesia em cirurgias

Fumantes precisaram de uma dose 38% maior de fármacos para induzir a anestesia e uma dose 33% maior para manter essa anestesia em uma cirurgia em relação aos não fumantes.
Fumar implica em receber uma dose maior de anestésicos, enquanto seria possível não deixar o corpo passar por esse estresse

Um estudo publicado neste mês durante o Congresso Europeu de Anestesia, em Berlim, mostrou que fumantes e pessoas expostas à fumaça do cigarro (fumantes passivos) precisam de mais anestesia e mais analgésicos para atingir o mesmo nível de anestesia dos não fumantes.

Pais-fumantes

A fumaça de cigarro carrega mais de quatro mil partículas com propriedades tóxicas e cancerígenas, tanto na forma de gás como em partículas. Um número limitado de estudos indicou que fumar aumenta a necessidade de anestesia, mas essa constatação não havia sido pesquisada em fumantes passivos. Nessa nova pesquisa, os cientistas investigaram se há alguma diferença entre fumantes, fumantes passivos e não fumantes em termos de anestesia para cirurgia e consumo de analgésicos.

O fármaco administrado no grupo de fumantes foi 38% maior do que no grupo de não fumantes, e 17% maior do que o grupo de fumantes passivos.

No grupo de fumantes, a quantidade usada foi 33% maior do que no grupo de não-fumantes e 16% maior do que o grupo de fumantes passivas. No grupo de fumantes passivas, a quantidade de anestesia foi 20% maior do que no grupo de não-fumantes.

Tá vendo???? Então para de fumar logo. Só traz malefício pra sua saúde!!!

Fonte: IG Saúde

15 mil brasileiros com câncer de boca por ano

Esta doença pode ser evitada apenas com um auto-exame

Uma forma de câncer pouco falada e que afeta milhares de brasileiros todos os anos também é uma das modalidades da doença mais facilmente identificáveis.

O câncer de boca atingiu no ano passado 14.120 pessoas, sendo 10.330 homens e 3.790 mulheres, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Os principais fatores de risco são o fumo, a ingestão de bebidas alcoólicas e contaminações pelo vírus HPV, contraído em relações sexuais.

Por causa da doença, os pacientes têm diversas partes do rosto atingidas – incluindo olhos, bochechas e orelhas – o que só pode ser revertido com a retirada das áreas comprometidas e o implante de próteses e tecidos.

O coordenador de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, Gilberto Pucca, explicou que a melhor forma de se evitar a doença é a prática de hábitos saudáveis, aliada ao auto-exame da boca, o que pode ser feito diante de um espelho.

– Nós podemos diminuir o número de casos. O esforço que o governo tem feito é que se massifique as informações de prevenção, como o controle do tabagismo e das bebidas alcoólicas, além dos protetores labiais para pessoas cotidianamente expostas ao sol. Ao menor sinal de alteração na mucosa bucal, deve se procurar orientação médica ou odontológica, disse Pucca.

Durante o auto-exame, deve se procurar por sinais como feridas que não desaparecem, nódulos ou caroços, dor persistente na boca, manchas brancas, vermelhas ou rochas dentro da boca, dificuldade para mastigar, engolir ou mexer a língua, inchaço ou dor no maxilar, dor constante na orelha, sangramento na boca, rouquidão. Na dúvida, o próprio dentista pode ajudar a diagnosticar, encaminhando o paciente ao serviço especializado.

Para o diretor-geral do Inca, Luiz Antônio Santini, é importante detectar a doença nas fases iniciais, pois a maior parte das pessoas – cerca de 80% – só descobre o câncer de boca nas fases avançadas, o que dificulta o tratamento. Segundo ele, a taxa de mortalidade do câncer de boca gira em torno de 13%, considerada alta para os padrões da doença.

– É um câncer evitável e que se for detectado precocemente é curável. A campanha tem o benefício de mobilizar e esclarecer a sociedade de que é importante prestar atenção na doença. O auto-exame deve fazer parte de uma campanha global, que também precisa oferecer o serviço odontológico. O profissional que trabalha nas campanhas públicas, como o Brasil Sorridente [do Ministério da Saúde], tem que ser treinado para detectar as doenças que existem, mas às vezes ele não vê, disse Santini.

Fonte: www.noticias.r7.com/saude

CUIDADO: Seu sorriso corre perigo!

A vida agitada e corrida de quem vive na capital é sem dúvida, uma loucura. Não nos alimentamos de forma correta, muita junk food, excesso de café na jornada de trabalho, alimentação fora de hora, sempre correndo, sem parar. O estresse está sempre por perto.

Mas esta vida moderna nos trouxe várias tecnologias e avanços na área da medicina que nos beneficia em muito.

Ainda bem…

Dos sintomas que a vida moderna nos dá, precisamos tomar alguns cuidados. Seu Sorriso Corre Perigo!

E entre os hábitos (errados) que selecionamos acima, você provavelmente deve ter pelo menos um deles. Vamos descubrir que mal, cada um deles faz:

1- Estresse:

O estresse causa baixa de resitícna no organismo e isto gera aftas, gengivite ulcerativas e até o mau hálito. Outro sintoma muito comum como descarga de toda energia negtiva é o bruxismo. A partir deste, outros surgem como problemas na ATM, fraturas e desgastes dentais. A fadiga muscular (masseter, temporal ntre outros) geram as dores de cabeça, enxaqueca. Vale lembrar que cada consequência do estresse demanda um tratamento específico para o caso.

2- Fumar:

Todo mundo está careca de saber os alefícios do cigarro, desde aparência de pele, problemas respiratórios até o maior risco de adquirir lesões bucais e evoluirem para o câncer. Manchamentos dos dentes, problemas periodontias e ainda mau hálito. Para esses pacientes, o controle da higienização deve ser mais rigoroso e controlado.

3- Roer Unhas:

Quem rói unha, já se mostra uma pessoa ansiosa. E este ato não tem nada de higiênico, não é mesmo?!

Os dentes anteriores correm o risco de quebrarem (suas pontas), além de ajudar a desalinhá-los. Isto seria uma “parafunção” para os dentes. Uma dica para parar de roer as unhas é usar um esmalte próprio para isso, que tem um sabor muito desagradável. Tem gente que pasa pimenta nos dedos… afff!!

Profissionalmente, podemos fabricar uma placa de acetato que na boca fica muito discreta e a pessoa deverá usar por algumas semanas até o hábito de levar a mão na boca sumir.

4- Comer Junk Food:

Na correria muita gente recorre aos hamburguers, fritas, coxinha, pizzas etc. por que acaba sendo mais fácil. Esses alimentos não fazem mal diretamente para os dentes. O grande problema é que na “correria” as pessoas acbam deixando a higienizaçnao de lado e isto sim prejudica em muito. Esses alimentos aderem facilmente aos dentes, aumentando a acidez da saliva facilitando a formaçnao de cáries

5- Mascar Chiclete:

Mascar chiclete o tempo todo faz mal aos dentes. Tudo que é em excesso faz mal. Pior ainda se ele tiver açúcar em sua composição. Desta forma, pode casar erosão ácida, facilitando a formação de cáries. Mesmo os chicletes sem açúcar, em excesso podem causar problemas de ATM, causando dores de cabeça e até bruxismo. O costume é tanto que depois só com uso de placas de mordida miorrelaxantes ou aplicação de BOTOX para aliviar a tensão muscular.

6- Café:

Os pigmentos do café causam manchamentos no esmalte dental. A cafeina também pode prejudicar o sono e causar o aumento de bruxismo, acarretando em dores de cabeça, musculares do pescoço, desgastes dentais e inflamação gengival. A unica forma de remover as manchas é com o clareamento dental.

7- Sem tempo de Escovar os Dentes:

Uma escovação perfeita não tem um tempo pré-determinado e sim uma maneira adequada: fio dental, escovação e enxaguatório bucal. Portanto, dizer que falta tempo para se dedicar ao seu sorriso não é desculpa. Poucos minutos irão trazer benefícios para a vida inteira, já que dentes bonitos e saudáveis interferem na autoestima e na vida como um todo.

 

Por isso, marque um retorno no dentista. Cuide de seu sorriso!