Saiba quais problemas bucais podem ser tratados com o Botox

Identifique aqui os sintomas que podem ser resolvidos com a aplicação de Botox.

Sorriso gengival: situação que ocorre quando há uma desproporção entre o tamanho da gengiva e o do dente, fazendo com que a primeira pareça maior. A condição não chega a prejudicar a saúde do paciente, possuindo apenas efeitos estéticos.
Toxina Botulínica

Bruxismo ou briquismo: é uma desordem funcional caracterizada pelo ranger ou apertar dos dentes, principalmente, durante o sono. Um dos sintomas mais comuns é a pessoa acordar com a mandíbula dolorida ou com dor de cabeça. O Botox é aplicado no músculo mais importante da mastigação.

Distonia: provoca espasmos localizados na região inferior da face (boca, língua e mandíbula), causando dificuldade na abertura ou fechamento da boca, no mastigar, no engolir e na articulação das palavras.

sintomasDisfunções da ATM: a articulação temporomandibular liga o maxilar ao crânio, os sintomas mais comuns de problemas na região é a sensação de que a mandíbula está ‘saltando para fora’, estalando ou até travando por um instante.

Sialorreia: ocorre quando há produção excessiva de saliva; pessoas com essa condição têm risco elevado de inalar a saliva, alimentos ou fluidos para os pulmões.

Fonte: Saúde Bucal IG

Botox é aliado no tratamento de bruxismo

botox é aliado no tratamento de bruxismo

O botox, proteína botulínica, muito popular para fins estéticos é também um importante aliado no combate a transtornos causados pelo excesso de contração dos músculos mastigatórios.

O bruxismo, problema que afeta 30% dos brasileiros, pode ser tratado com o produto, já que a forma convencional (feita com placas de mordida usadas na hora de dormir) é bastante desconfortável para o paciente.

O uso da proteína tem o objetivo de aliviar a força excessiva que a pessoa faz ao ranger os dentes ou cerrar a boca, e os resultados já podem ser notados após duas ou três semanas da aplicação.aliado ao combate de bruxismo

Além do bruxismo, o botox também auxilia no combate de outros problemas, como: dores de cabeça, dores orofaciais, hipertrofia do músculo masseter (o mais forte do corpo humano) e até no tratamento do sorriso alto.

Esse método terapêutico é menos invasivo e muito eficaz, em alguns casos, evita até mesmo a realização de cirurgia. Vale lembrar que pessoas intolerantes à lactose não devem recorrer ao procedimento.

E você, sofre com algum desses problemas? Conte para nós e deixe-nos te ajudar!

Compreendendo o estresse e seu efeito sobre a saúde bucal

Nestes tempos de dificuldades econômicas, em que a taxa de desemprego está em seu ponto mais crítico desde a Grande Depressão de 1929, muitos americanos estão sob estresse devido à ansiedade e a problemas de ordem financeira. Não tratado, o estresse pode afetar a mente e o corpo, inclusive a saúde bucal.

Stress concept - angry man with exploding headO estresse é definido como uma resposta fisiológica do corpo a situações ou problemas que podem afetar negativamente a atitude ou o organismo de uma pessoa. O estresse é dividido em quatro categorias: eustresse, distresse, hipoestresse e hiperestresse.

  • O eustresse é uma forma de estresse positivo. É um estresse motivador e permite que a pessoa conclua seu projeto ou trabalho.
  • O distresse é um estresse negativo que afeta as pessoas através do medo, frustração e, por vezes, raiva.
  • O hipostresse ocorre quando alguém não está sob estresse positivo e pode dar origem a mais problemas, produzindo tédio e desespero.
  • O hiperstresse é o resultado do estresse quando alguém esforça-se em demasia para cumprir prazos.

Quando o estresse ocorre, mais pessoas são afetadas por hábitos pouco saudáveis ou negativos que podem influenciar sua saúde bucal, tais como o uso do tabaco e ou álcool, como afirmou o cirurgião-dentista Dr. David Cochran, PhD, Presidente da Academia Americana de Periodontologia e professor titular do Departamento de Periodontologia do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas em San Antonio. Os fatores de risco – tabaco e álcool – podem infuenciar o desenvolvimento das doenças periodontais.

Um estudo publicado no Journal of Periodontology em 2007 mostrou que o estresse interfere na higiene bucal. Cinquenta e seis por cento dos participantes do estudo afirmaram que o estresse havia afetado sua capacidade de escovar os dentes e usar fio dental. Além disso, o hormônio cortisol, que está presente no estresse, acumula-se em níveis crescentes e pode levar à doença periodontal.

O estresse pode afetar a saúde das pessoas, causando os seguintes problemas bucais:

  • 04trabalhoSurgimento de aftas – Aftas são pequenas feridas na boca causadas por vírus, bactéria e deficiência do sistema imunológico.
  • ATM/Bruxismo – As pessoas sob estresse podem ter problemas que afetam a articulação temporomandibular, assim como o ranger e apertar os dentes durante o dia ou quando dormem.
  • Boca seca – O estresse pode afetar o nível de salivação. Certos medicamentos podem ter influência sobre o fluxo salivar.
  • Gengivite – Vários estudos mostram que o estresse pode afetar a capacidade de a pessoa realizar uma boa higiene bucal.

Estes são alguns dos problemas que podem ocorrer quando o estresse está presente. Consulte seu dentista, se estiver passando por qualquer um deles. Tente aliviar o estresse ingerindo uma dieta nutritiva, dormindo o número de horas necessário à noite e exercitando-se para reduzir a ansiedade e a tensão decorrentes do estresse.

Fonte Colgate

Não desconte sue estresse nos dentes

Você está destruindo os dentes, mesmo sem conhecê-lo? 
fear of dentistMuitas pessoas têm uma tendência a mastigar um lápis ou outros objetos, quando confrontado com um monte de trabalho e responsabilidades. Pode ser tentador usar os dentes para rasgar algum pacote, abrir um saco plástico de alimentos, ou uma garrafa de refrigerante. 
Pode parecer um hábito inofensivo , no entanto, usando os dentes para outra coisa senão a mastigação pode levar a pequenas quebras, rachaduras ou até mesmo a perda do dente .

O stress é uma experiência natural, mas muito estresse pode ter um impacto negativo na sua boca, dentes e gengivas. Sintomas orais de estresse geralmente incluem dor orofacial, maus hábitos alimentares, bruxismo, disfunção temporomandibular (DTM ), feridas na boca, e da doença periodontal. Para evitar que o estresse afete a sua saúde oral, é importante ter uma boa prática de hábitos na saúde oral. Como o bruxismo é de fundo emocional e está ligado com o estresse do dia a dia, alguns tratamentos são indicados neste caso como: Placa de mordida (miorrelaxante) e aplicação de Toxina Botulínica (Botox).

imagesOs dentes são necessários para a fala , trituração de alimentos, e manter um sorriso saudável. No entanto, com as suas muitas funções, os dentes nunca devem ser usados de forma errada.

Aqui estão alguns hábitos dentais negativos comuns de saúde para evitar a fim de que o seu sorriso pode se manter saudável :
Morder lápis e canetas; Usar os dentes como tesouras; usar os dentes como uma mão para segurar alguns itens; para abrir garrafas; rasgar embalagens; etc

Sobrepeso é principal causa do ronco

ObesidadeQuando o ronco reina durante toda a madrugada, nem quem ronca, nem quem está dormindo ao lado consegue descansar de verdade, o que pode acarretar uma série de problemas de saúde e de relacionamento.

A principal causa do ronco em adultos é a obesidade ou sobrepeso. Porém, não são só os obesos que roncam. Pessoas com peso normal também podem roncar ou ter apneia (pequenas pausas na respiração durante o sono) por causa do formato da cavidade oral. Boca muito estreita ou mandíbula menor que o comum podem levar ao ronco por obrigar a língua a ficar na posição errada.

Outro agravante para o aparecimento do ronco é a idade. A medida em que envelhecemos, há uma grande perda de tonicidade muscular, o que gera flacidez na garganta e prejudica a passagem correta do ar. Além disso, o consumo de álcool ou remédios, hipertrofia das amígdalas, desvio de septo e sedentarismo também predispõem as pessoas a roncarem.

roncoO ronco acompanhado de apneia do sono torna o descanso precário e com isso a sonolência diurna é quase uma constante. Uma vez sonolento, as conseqüências são: irritabilidade, mau humor, baixa produtividade e alto risco ao volante.

A melhor opção de tratamento é a prevenção. Hoje em dia, sabemos que se o cirurgião-dentista souber interpretar os sintomas com antecedência, o ronco, assim como a apneia do sono e o bruxismo, podem ser devidamente identificados e prevenidos, evitando seus desdobramentos. Para os casos de apneia do sono leve a moderada e ronco, o cirurgião-dentista pode orientar o uso de placas de avanço mandibular durante a noite, resolvendo os problemas na maioria dos casos.

Inúmeros trabalhos mostram que o ronco acompanhado da apneia do sono predispõe esses indivíduos a estarem mais sujeitos a doenças como: ataque cardíaco, AVC, hipertensão e diabetes, além de apresentarem uma respiração inadequada e menos oxigenação sanguínea.

O ronco mais preocupante é o decorrente da apneia do sono, pois nesses casos as vias aéreas superiores se encontram bloqueadas, ou parcialmente bloqueadas, o que prejudica a respiração noturna. O principal problema deste tipo de ronco é que ele dificulta a chegada de oxigênio no cérebro.

Crianças não só roncam como também sofrem com apneia. Adenoides e amígdalas inflamadas são as principais causas de ronco nessa idade.

Hoje sabemos que um terço da população adulta mundial sofre de ronco causado por apneia. Um número bastante expressivo!!

Fonte: Terra Saúde

Dor de cabeça pode ser de ranger os dentes durante a noite

esps-bruxismoO ritmo frenético – correria do dia a dia – que atinge uma grande parte da população das cidades metropolitanas, pode causar sérios problemas de saúde as pessoas. Entre eles, pode-se destacar o bruxismo, um problema que atinge cerca de 15% da população, a maioria mulheres entre 15 e 35 anos de idade.

Pelo fato do bruxismo se manifestar principalmente a noite, durante o sono, muitas pessoas nem sabem que sofrem deste mal. Em alguns casos, apenas acordam com dor de cabeça, dor muscular na mandíbula (pelo ranger excessivo dos dentes durante o sono), entre outros sintomas que podem atingir o rosto, pescoço, ouvido e até ombros.

66“Quando estas dores começaram a aparecer, ou sentir seus dentes desgastados e até mesmo moles, corra para o dentista. Nestes casos, o bruxismo está em um nível avançado e será preciso corrigir este problema, relaxar a musculatura e proteger os dentes” – diz Dr. Mauricio Querido.

O bruxismo é o responsável por trincar e desgastar o esmalte dos dentes pelo forte atrito, podendo ocasionar em dores, amolecimentos e, em casos mais graves, até a perda dos dentes. Para solução deste problema, Dr. Mauricio afirma que, o tratamento mais indicado é o ajuste oclusal dos dentes (correção das disfunções do sistema Placa de Mordidamastigatório), tirando as interferências e em alguns casos confeccionando uma placa de mordida que servirá para relaxar a musculatura e protegê-los.

“Frequentar o dentista a cada seis meses e realizar exames dentais rotineiros, é uma das melhores formas de prevenir sérios problemas bucais e manter um sorriso perfeito”, garante Dr. Maurício Querido.

Dentista também aplica Botox?

O Botox é mais conhecido para tratamentos estéticos. Descoberta por volta dos anos 60, a Toxina Botulínica é obtida de uma bactéria chamada “Clostridium botulinum”. Inicialmente era usada para tratar não cirurgicamente o estrabismo. Só mais tarde foi indicada para outros tratamentos.

Quando aplicada em pequenas doses, a toxina bloqueia a liberação de acetilcolina, um dos neurotransmissores responsáveis por levar as mensagens do cérebro aos músculos do corpo. Consequentemente, os músculos não recebem o estímulo para contração, permanecendo relaxados e mais flexíveis. Outro resultado da aplicação é a suavização das linhas de expressão. Por isso, este procedimento é muito procurado para o tratamento estético de rugas.

botox-img-2O uso dentro da Odontologia, a substância pode aliviar as dores musculares e faciais causadas por disfunções da articulação temporomandibular, tratamento do bruxismo e correção do sorriso gengival.

Por uma resolução do CFO (Conselho Federal de Odontologia), o dentista, desde de que habilitado, poderá aplicar o Botox para que auxilie o cirurgião nos tratamentos e terapias odontológicas.

Qual a relação entre ronco e disfunção erétil?

Muitos homens em determinado momento de suas vidas vivenciam períodos de disfunção erétil.

As causas são várias: abuso do álcool, má alimentação, até cansaço e estresse.

Ronco, apnéia do sono, bruxismo e dores de cabeça relacionadas ao bruxismo, são doenças crônicas, que quando tratadas reduzem ou podem até resolver problemas de disfunção erétil. Uma das características mais evidentes de pacientes que rocam ou possuem apnéia do sono é a sonolência diurna.

Ao procurar um urologista com a reclamação de problemas com ereção, muitos homens mencionam a sensação de sonolência diurna. É justamente uma das evidências que mostram se tratar de um paciente roncador ou com apneia do sono.

A maioria das pessoas acreditam que roncar é sinal de sono profundo, mas isso é puro mito. Roncar faz barulho e dificulta a entrada de ar, não fazendo com que a pessoa tenha uma noite de sono de qualidade. O indivíduo não percebe, mas passa a noite toda em estado de semirelaxamento, não ficando disposto no dia seguinte como deveria.

Para diagnósticos mais precisos, são indicados aparelhos e próteses nos dentes (feitos especificamente para o paciente com esses distúrbios), e um estudo mais detalhado em clínicas especializadas em Sono. Assim teremos condições de saber o nível de ronco e se existem outros fatores associados e aí sim, chegar onde queremos.

Beijinhos

Dra. Liz Moura

Ortodontista

Descubra o que o sorriso pode contar sobre sua saúde

Você sabia que o sorriso é capaz de dizer como anda nosso estado de saúde?

Embora alguns especialistas dizem que escovar os dentes duas a três vezes ao dia possa ajudar na prevenção de doenças cardíacas e derrames, para muita gente ainda é difícil entender qual a conexão da saúde bucal com o restante do organismo.

O tabloide britânico The Sun destacou (setembro de 2011) que os dentes e a gengiva são indicadores de como está o bem-estar da pessoa, dando sinais de doenças como artrite, anemia e até HIV.

“Há fortes evidências de como a condição bucal pode impactar na saúde como um todo. O que explicaria porque olhar para os próprios dentes é tão importante para prolongar a vida”, disse Thang Nghiem, dentista e diretor clínico de uma clínica britânica.

A seguir alguns dos principais problemas bucais e os problemas que podem sinalizar algum tipo de problema na saúde:

Boca seca: alergias, fumo e desidratação são algumas das causas da boca seca, mas quem padece do mal e não sofre de um dos problemas listados, pode sofrer da Síndrome de Sjogren, uma doença auto-imune que destrói as glândulas salivares e as que produzem as lágrimas, causando secura bucal e nos olhos.

Esmalte lascado: este problema pode ser um sinal de refluxo gastroesofágico, condição na qual o ácido estomacal sobe para o esôfago e afeta os dentes, causando queimação, mau hálito, entre outros sintomas. O refluxo precisa ser tratado por um gastro. Como dentista, podemos restaurar o dano causado pelo ácido nos dentes e monitorar a situação para que não piore.

Língua branca: pode ser um dos sinais de câncer de boca, em especial se as manchas brancas aparecerem em formato de renda na superfície da língua e bochechas. “Na maioria dos pacientes não é algo sério, mas pode virar uma lesão cancerígena e, por isso, é importante que seja monitorada”, explicou o dentista.

Aftas: quando muito frequentes, podem sinalizar a colite ulcerativa ou Doença de Crohn, um problema que afeta o sistema digestivo como um todo e leva ao surgimento das úlceras bucais.

Língua amarela por baixo: se a parte de baixo da língua estiver amarelada, pode ser um sintoma de problemas hepáticos. Esta é uma região que tende a amarelar aos primeiros sinais de males no fígado e, quando eles se agravam, toda a boca fica amarela.

Língua lisa e vermelha: chamada de glossitis, a língua com aparência lisa e vermelha é comum em pessoas com anemia, que podem apresentar ainda algumas rachaduras nos cantos da boca.

Verrugas brancas e grossas: pode ser um sinal de infecção por fungo, muito comum em pacientes HIV positivos ou que usaram esteroides e antibióticos. Os sintomas, segundo o dentista, são manchas brancas, língua com aparência “cabeluda”, verrugas nas gengivas e mucosas e aftas.

Dentes gastos: pessoas que apresentam este problema, geralmente tendem a ranger os dentes durante a noite, um sintoma do bruxismo. Um aparelho de silicone ou acrílico é importante para parar o desgaste do dente e do esmalte, evitando quebras dos dentes.

Doenças peridontais: de maneira geral, as doenças de gengiva são causadas por placas bacterianas que acabam inflamando a região, que sangra a cada escovação. Estudos recentes ligaram as doenças peridontais a outros males como derrames e infartos, porque a bactéria que causa o problema migra para a corrente sanguínea e pode colaborar com os males coronarianos e gestacionais, como parto prematuro ou bebês de baixo peso.

Fonte: Portal Terra