Saburra lingual e o mau hálito

Saburra lingual e o mau hálitoA saburra lingual (ou biofilme) é uma placa bacteriana que reveste o dorso da língua deixando-a esbranquiçada, amarelada ou amarronzada. Além disso, ela é a principal causa do mau hálito.

Essa placa bacteriana é causada quando há a diminuição da produção de saliva, ressecamento da boca ou descamação da mucosa. Línguas que apresentam muitas fissuras são as mais propícias de apresentar o problema.

Pessoas com saburra lingual apresentam diversos sintomas, como a língua áspera, mudança na coloração, alterações no paladar e, como já dito, mau hálito.

O diagnóstico pode ser feito por seu dentista que é capaz de reconhecer o problema pela aparência da boca. E, em alguns casos, é necessário fazer uma investigação mais profunda porque a condição pode indicar doenças mais graves.Saburra lingual e o mau hálito

A prevenção pode ser feita por meio do aumento do fluxo salivar ou a diminuição da descamação da mucosa, através do tratamento adequado que será aconselhado por seu dentista. E, claro, fazer a higienização bucal (escovando a língua) é uma boa maneira de evitar o transtorno.

No mercado há diversas opções de produtos e limpadores linguais que podem auxiliar na limpeza.

Os erros que prejudicam a saúde bucal – Parte IX

Esquecer-se de escovar a região entre os dentes

As cáries e doenças gengivais normalmente iniciam nestes locais. A escova interdental e o fio dental alcançam esta área e desorganizam o biofilme oral que se acumula constantemente entre os dentes. A presença da placa bacteriana X Tempo = é que vai dizer o risco de formar cáries.

Fonte: Saúde Abril

Os erros que prejudicam a saúde bucal – Parte VII

Escovar os dentes imediatamente após as refeições

Deve-se esperar, no mínimo, 30 minutos para escovar os dentes. É o tempo necessário para que a saliva possa agir e neutralizar o pH dos alimentos e bebidas. O ideal seria realizar a escovação antes das refeições e não após, pois a função da escovação é desorganizar o biofilme oral e não remover restos de alimentos.

Fonte: Saúde Abril