Por quê os humanos se beijam?

Você já parou para pensar na pergunta acima? Existe todo um grupo de pessoas que se dedica somente à ela. Trata-se dos pesquisadores da filematologia, ciência dedicada ao estudo do beijo.

A verdade é que existe muito mais em um beijo do que o desejo ou a paixão. Quando duas pessoas se beijam, elas trocam entre si nove mililitros de água; 0,7 miligrama de proteínas; 0,18 miligramas de compostos orgânicos; 0,71 miligramas de gorduras, 0,45 miligramas de cloreto de sódio; isso sem contar as bactérias, que podem chegar a até um bilhão.

Female mouth puckering

Female mouth puckering

Em um estudo publicado em 2015 no periódico American Anthropologist, 54% das 168 culturas analisadas não possuiam evidências de beijos românticos. “Acreditamos que o etnocentrismo ocidental, a crença que um de nossos comportamentos prazerosos seria humano, pode ter criado essa ideia de que o beijo é universal”, escreveram os cientistas. Nesse caso, o beijo romântico seria um hábito desenvolvido culturalmente.

Mas o motivo pelo qual os humanos beijam – desconsiderando o elemento romântico da equação – ainda é um mistério para os cientistas. Alguns pesquisadores acreditam que as pessoas trocam beijos por uma combinação de atração psicológica e biológica. “Você não pode ter psicologia sem um cérebro biológico”, explica.

Um estudo conduzido por Wlodarski na Universidade de Oxford, na Inglaterra, mostra que as pessoas que beijam com maior frequência são mais felizes e satisfeitas com seus relacionamento. No momento ele tem como objetivo descobrir o motivo de os beijos fazerem com que casais se sintam mais próximos.

Fonte: Revista Galileu

Conheça 10 mentiras que contam sobre saúde bucal

http://saude.terra.com.br/saude-bucal/atualidades/10-mentiras-que-contam-sobre-saude-bucal,3a2cb9f5bd96dbaa220ea569d3e0a48eaxlwcbnn.html

1 – A perda dos dentes é consequência natural do envelhecimento.
MITO! A perda dentária é consequência de doenças gengivais maltratadas, traumas e composição genética. Com tratamento de prevenção é possível chegar à terceira idade com todos os dentes na boca.

dental-implants-costa-rica-treatment2 – O uso de implantes ou próteses totais (dentadura) não precisam de controle periódico no dentista.
MITO! Os implantes dentários precisam da mesma manutenção gengival e descontaminação semestral dos dentes. Pacientes com próteses também devem fazer visitas regulares para avaliação da adaptação e dos tecidos moles, como gengivas e bochecha.

3 – Não vou ao dentista porque não sinto dor.
MITO! A ausência de dor infelizmente, não significa ausência de problemas bucais. A doença periodontal, por exemplo, que é a inflamação gengival, não costuma doer, a não ser em casos já avançados.

4 – Bebês que ainda não têm dentes não precisam fazer higiene oral.
MITO! Mesmo sem dentes é importante que os pais façam limpeza da gengiva e região com uma gaze umedecida.

5 – Mau hálito é problema de estômago.
MITO! O mau hálito pode ter origem local, sistêmica ou ainda ser causada pelos dois fatores associados. Problemas estomacais como gastrite ou úlcera não provocam mau hálito. Em geral, o mau hálito é provocado por problemas decorrentes de higiene oral malfeita ou infecção nas vias aéreas superiores.

article-1113422-0308B1E1000005DC-968_468x3326 – Tudo bem, de vez em quando, usar apenas antisséptico oral em vez de escovar os dentes.
MITO! Uma boa higiene depende principalmente de escova e fio dental. Os antissépticos são coadjuvantes, mantendo o hálito puro e refrescante por mais tempo. Dê sempre preferência a um produto que não contenha álcool.

7 – O clareamento dental caseiro ou com aplicação de laser desgasta a estrutura do esmalte dos dentes.
MITO! O processo de clareamento atua nas partículas que colorem o dente sem provocar qualquer tipo de desgaste ou dano à estrutura dentária.

8 – O herpes labial pode ser mais rapidamente curada com o uso de pomadas específicas.
MITO! Geralmente o vírus do herpes precisa cumprir seu ciclo de 7 a 14 dias, independentemente do uso de medicação, a não ser que sua presença seja detectada logo no 1º dia de manifestação. Neste caso, teremos o processo de cura e cicatrização acelerado.

9 – Restaurações em resina tem maior possibilidade de fratura e infiltração que restaurações em amálgama.
MITO! Hoje, contamos com resinas resistentes e preparadas para receber grandes esforços mastigatórios, que não deixam a desejar em nada em termos de resistência e adaptação para as antigas restaurações metálicas.

10 – Próteses removíveis desgastam e estragam os dentes com o tempo.
MITO! Isso não acontece desde que estejam bem adaptadas, feitas dentro da técnica adequada e com correta escovação diária.

Crianca-no-dentista11 – Se o dente de leite do meu filho não cair sozinho, não devo me preocupar com ele.

MITO! Os dentes de leite, ou decíduos, são temporários e servem como guia para a erupção dos permanentes. Sempre que houver qualquer dúvida por parte dos pais, um odontopediatra deve ser consultado.

12 – Todos temos que remover os sisos antes mesmo que eles nasçam.
MITO! Os sisos só devem ser removidos quando for detectada a ausência de espaço para eles ou se seu nascimento implicar em mal posicionamento dos demais elementos.

13 – Quanto maior e mais dura for a escova dental, melhor é a limpeza.
MITO! Na realidade, a escova dental deve ser pequena ou média para alcançar qualquer região da nossa boca. Deve também ter cerdas macias para não machucar a gengiva.

De açaí a chá: dez alimentos que mancham os dentes

Muito bom tomar um bom vinho em boa companhia, não é mesmo?! Num dia de calor, uma tigela de açaí vai muito bem também.

Nos dois casos, pode causar certo constrangimento pois o sorriso fica com a cor roxa.

Mas quando a saúde bucal está em dia, esta pigmentação some assim que a escovação é realizada.

Para que as manchas não fiquem permanentes, o segredo (que não é segredo nenhum) é a prevenção. Ir ao dentista de seis em seis meses para remover o tártaro é o passo principal. A placa bacteriana que fica aderida no dente é muito ácida e pode esbranquiçar o dente irreversivelmente. Este é o início da cárie.

woman-drinking-coffeeUma dica boa é fazer bochechos com água logo após ingerir alimentos mais pigmentados, como beterraba, vinho, açaí, chocolate, chá, café, molho de soja e refrigerantes. Melhor ainda é escovar os dentes devidamente para evitar o acúmulo de biofilme oral (placa bacteriana). Caso a higiene seja descuidada, o dente pode perder minerais. Quando isso acontece, o esmalte, barreira de proteção do dente, é danificado e se torna mais poroso, assim, a pigmentação pode aderir ainda mais e manchar os dentes.

Tanto a limpeza quanto o clareamento dental podem ajudar a amenizar essas manchas. A primeira opção é para casos em que o acúmulo de tártaro esteja amarelando os dentes. Já o clareamento age até em dentes amarelos causados pela idade ou tabagismo e outros agentes externos.

Skuteczne-Wybielanie-Zębów1Importante entender que manchado não é amarelado!!

Existe uma diferença entre dentes manchados e amarelados. Os alimentos não amarelam os dentes, apenas transferem sua pigmentação. Os responsáveis por deixar o dente amarelado são o tabaco e o envelhecimento da dentina.

Os principais dez alimentos que mancham os dentes são:

Café, Chá, Açaí, Beterraba, Vinho tinto, Molho de soja (shoyu), Catchup, Suco de uva, Blueberry (mirtilo), Refrigerante. Evite-os quando e se possível

Fonte: Terra Saúde Bucal

8 objetos do dia a dia que são mais sujos que a privada

Se você só se preocupa com germes e bactérias quando está no banheiro de sua casa, pense de novo. Durante o dia você tem contato com pelo menos 8 coisas que são mais sujas do que o mal falado vaso sanitário. Mas não precisa se esconder: saiba onde eles estão e proteja-se.
1. Celular
imagesSim, é verdade o que você escutou por aí. Um estudo da Queen Mary University of London indicou que 1 em cada 6 celulares está infectado com bactérias fecais. Um dos grandes motivos para ser tão sujinho está ligado aos próprios hábitos de higiene – apesar de 95% dos entrevistados terem declarado lavar as mãos com sabão, 82% das mãos e 92% dos celulares analisados apresentaram bactérias. Além disso, a maioria das pessoas raramente (ou nunca) limpam seus aparelhos. Isso é preocupante principalmente pelo contato constante que mantemos com o telefone e sua proximidade ao rosto e à boca.

2. Controle remoto
remote_control_0306Se você tem mania de limpeza e fica sempre um pouquinho apreensivo ao dormir em um quarto de hotel, saiba que o controle da TV é provavelmente a superfície mais suja do lugar. Um estudo da University of Virginia apontou que o controle remoto é um dos principais propagadores de doenças no lar – pelo menos 50% deles estão contaminados com germes e bactérias.

3. Dinheiro

money-in-handQuem adora receber cédulas novinhas tem mais um motivo para comemorar. Até 80% das notas podem estar contaminadas por bactérias e germes, apontou um estudo da University of London. A conta é simples: imagine por quantas mãos já passou uma nota em circulação há dois anos. E como o termo “lavagem de dinheiro” não se aplica à limpeza e desinfecção das cédulas monetárias, elas permanecem para sempre como focos de germes e doenças. A recomendação não poderia ser outra: uma lava outra, lava uma mão.

4. Escova de dentes

new-and-old-toothbrushesA escova de dentes acumula mais bactérias do que sonha nossa vã filosofia. E um dos grandes culpados é você: a boca humana contém 500 tipos diferentes de bactéria, que podem sobreviver até 48 horas no objeto. Além disso, se a escova fica em cima da pia, pode acumular uma porção de bactérias fecais. Isso porque as partículas de água que saem voando quando se dá descarga com a tampa aberta podem se espalhar por até 6 metros e aterrizar direto na escova, pia e maçanetas. Um estudo publicado no The Journal of Clinical Dentistry, aponta que é importante manter a escova limpa e seca já que a retenção e sobrevivência de microorganismos no objeto pode causar reações inflamatórias na região bucal.

5. Máquina de lavar roupas

Maquina-de-lavar-roupa-balay-6kg-novo-Setubal_446621363_5Até tu, lavadora? Pode parecer um tanto improvável, mas uma pesquisa conduzida pela Universidade do Arizona indicou que 50% das máquinas de lavar roupas caseiras contém bactérias fecais. Além disso, dentre os aparelhos testados, 13% continham a bactéria E. coli, e 100% apresentavam mofo. Para combater o problema, é recomendado lavar primeiro as roupas brancas usando alvejante (que mata as bactérias) e, uma vez por mês, fazer um ciclo sem roupas para limpeza do aparelho.

6. Pia da cozinha

4fd264777e7adfc435f70698d7ffad952848e95c25b2d_pia-da-cozinhaQual foi a última vez que você desinfetou a pia da cozinha? Se não consegue se lembrar, é bom colocar esta pendência em sua lista de tarefas. A pia pode acumular até 100 mil vezes mais germes e bactérias que a privada, apontou estudo conduzido pelo o Hygiene Concil, que identificou ainda que 75% das pias em lares estadunidenses não passariam em um teste de higiene. Ao limpar a cozinha, não se esqueça da bancada: esta também pode chegar a acumular o dobro de sujeira encontrada no vaso sanitário.

7. Teclado

atalhos_teclado1Olhe para baixo: você consegue ainda ver rastros do lanche da semana passada por entre as teclas do seu teclado? Hora de limpar essa sujeira. Um estudo recente apontou que o objeto pode apresentar 400 vezes mais bactérias que uma privada. O ideal é que o teclado seja higienizado cerca de três vezes por semana para dar adeus às bactérias e migalhas que se acumulam por ali.

8. Xícara de café e esponjas

lugaressujoscasagty1Péssima notícia para quem não vive sem um cafezinho no meio do expediente: em estudos conduzidos por Charles Gerba (conhecido como “Dr. Germ”), da Universidade do Arizona, 20% das xícaras de café analisadas continham bactérias fecais. Mas o culpado não era o café (todos comemoram!). Os germes presentes na xícaras foram identificados como oriundos de outro grande recanto de bactérias: a esponja usada para lavar os recipientes. Em um estudo conduzido pela Simmons College, foi identificado que um terço das esponjas analisadas estavam contaminadas – quase o dobro da taxa de contaminação identificada entre as privadas. Elas acumulam uma série de bactérias vindas principalmente de carnes cruas. Além de trocá-la com frequência, é recomendado guardar a esponja de forma que fique menos úmida – ambiente favorito para bactérias.

6 Mitos alimentares que todo mundo acredita

Você se obriga a tomar 8 copos de água por dia e sempre prefere comer carne de frango à de porco? É daqueles que enchem a cara sem pensar no amanhã? Gasta horrores com comida que nem curte muito só porque tem propriedades afrodisíacas? Então é bom que leia a nossa lista, porque você foi enganado!

Afrodisíacos funcionam
Amendoim, ovo de codorna, pimenta, ostras… Se você costuma investir nesses alimentos achando que têm poderes afrodisíacos, esqueça. É verdade que a pimenta, por exemplo, aumenta a pulsação e induz ao suor, produzindo uma sensação parecida com a da excitação sexual. Mas isso é bem diferente de provocá-la. Os pesquisadores garantem: afrodisíacos não existem. Mas podem funcionar como um placebo. Quer dizer, se você realmente acredita que comer ostra ou pimenta fará com que tenha um desempenho sexual melhor, isso pode acontecer mesmo.
Leia mais

Vampiros bebem sangue venoso ou arterial?

Os vampiros bebem sangue Arterial ou Venoso?

A resposta é letra B de “benoso”. Afinal, é sangue venoso o que corre na jugular, veia que os vampiros costumam atacar.

Porém, Marcos Graminha, nobre fundador da Sociedade Brasileira de Vampirologia, alerta que o hábito de beber sangue é um recurso inventado por Hollywood (para variar).

“O sangue é uma imagem para as pessoas entenderem como o vampiro drena a vida das pessoas”, diz. Vampiros sugam a energia vital das vítimas. O sangue é apenas uma representação visual desse hábito glutão. Já o pescoço entra na história para dar um toque erótico à situação. Sensualizante.

Gostaram? Nos escreva com suas dúvidas e curiosidades que postamos aqui.

Coca-Cola te faz perder substância dental

Sim.

Refrigerantes em geral, que deixam a boca com pH ácido, estragam os dentes.

Com o pH ácido (por volta de 2,3), um dos principais problemas causados pelos refrigerantes, é a erosão dos dentes.

O que acontece é que o pH ácido, a superfície do esmalte dental sofre um processo de desmineralização, ou seja, começa “descamar” mais facilmente.

Por isso, muitas pessoas que tem o costume de ingerir bebidas ácidas, terem sensibilidade nos dentes.

Outro problema dos refrigerantes são as cáries. Qualquer carboidrato fermentável contido nos alimento interage com as bactérias da placa dentária, gerando um ácido que retira minerais do esmalte dos dentes.

Pra se ter uma idéia, a quantidade de açúcar presente na Coca-Cola é de 21 gramas por cada 200 ml da bebida. Ou seja, bastante alto.

Os refrigerantes a base de Cola, além de manchar os dentes escurecendo-os, também podem causar úlceras gástricas e diabetes.

Lembrando que a Coca-Cola foi inventada como xarope medicinal. Alguém teve a brilhante idéia de colocar gás e gelar.

Adoro Coca-Cola, confesso. Mas tomo geralmente só nos finais de semana.

Mandem perguntas para nós. Teremos prazer em respondê-las.

Chiclete ajuda escovar os dentes?

Já me fizeram perguntas sobre isto inúmeras vezes. E como as perguntas aqui neste blog acabam virando posts, aqui vai mais uma delas.

As pessoas que tem xerostomia (boca seca, pouca salivação) tem indicação para uso de chicletes. Eles aumentam a salivação e como já falado aqui neste blog, a saliva ajuda a proteger os dentes, formando um efeito “tampão”. Além de equilibrar o pH da boca mais rápido não permitindo que os ácidos comecem o processo de desmineralização do smalte dental (que nada mais é que o início da cárie).

Os chicletes sem açúcar são os mais indicados. Claro que é por causa da ausência do açúcar que indicamos ele.

Os chicletes também funcionam como carregadores de algumas substâncias (cálcio, clorexidina, flúor, agentes branqueadores) que ajudam na prevenção como na manutenção estética.

Alguns chicletes possuem nicotina na sua composição que serve para substituir a nicotina do cigarro, auxiliando os fumantes a parar com este vício.

Alguns ortodontistas e bucomaxilo indicam também o chiclete como auxiliar na fisioterapia pós tratamento.
As pessoas que tem preocupação com engordar, não precisam se preocupar. O chiclete sem açúcar não engorda, porém as pessoas que enganam a fome, correm riscos. O cérebro “enganado” avisa para liberar ácido clorídrico no estômago e este pode provocar alguns problemas.

E por último, como já falamos aqui, o mau hálito não é totalmente eliminado com os chicletes. Para isto é melhor uma ajuda profissional para resolver este problema.

E se ainda tiver dúvidas, nos escreva aqui abaixo e deixe seu comentário. Queremos ouvir.

Abraços

Curiosidades sobre a anestesia

Os egípsios procuram amenizar a dor em cirurgias.

Muitos grandes avanços da medicina moderna, como cirurgias cardíacas ou próteses de articulações, jamais seriam possíveis sem o controle da dor. Mas como a amestesia se desenvolveu?

Tudo indica que os médicos antigos nunca recorreram a métodos violentos para desmaiar o paciente antes de uma cirurgia. Os antigos egípsios e assírios comprimiam as duas artérias carótidas ao mesmo tempo, limitando o fluxo de sangue para o cérebro e levando o paciente a perder a consciência, para então realizar um procedimento cirúrgico. Além disso, os egípsios descobriram que o ópio ajudava a aliviar a dor e os assírios criavam analgésicos misturando beladona, cannabis e raiz de mandrágora. Os gregos e romanos copiaram e desenvolveram essas técnicas, e os árabes medievais criaram uma forma de anestesia por inalação.

O advento da anestesia moderna remete a segunda metade do século XVIII, quando Joseph Priestley isolou o óxido nitroso. Sir Humphrey Davy identificou sias qualidades anestésicas e soporíferas, mas ele foi considerado mais uma forma de entreter os sentidos do que uma descoberta da medicina.

Tudo mudou quando um dentista dos Estados Unidos começou a usá-lo para extrair dentes sem dor. Alguns anos depois, o éter passou a ser o anestésico da vez, primeiro para procedimentos dentários e então para outras operações. O clorofórmio com a vantagem de ser menos inflamável, embora com mais riscos de causar complicações, foi usado em algumas áreas no lugar do éter.

Este texto foi extraido em parte do livro 1001 Invenções que mudaram o mundo.

Hoje, as possibilidades anestésicas são inúmeras e os efeitos muito mais controlados, eficientes e duradouros.

Pra quê sentir dor, não é mesmo?

Um abraço

Saúde Bucal influencia a Saúde Mental?

Estudos anteriores já confirmaram que a perda da saúde mental coopera com a diminuição da capacidade das pessoas para cuidar da boca, recente publicação analisou o relacionamento da doença periodontal e das perdas dentárias com o declínio das habilidades cognitivas. (Chique não?)

Os investigadores compararam os registros dentários de homens na terceira idade, que haviam participado de uma fase prévia desse estudo, em seguida comparavam os achados bucais de preservação de saúde ou de aparecimento dos sinais de infecções bucais, doença das gengivas com os resultados dos testes para a medição da capacidade cognitiva dos investigados pelo estudo. Esse teste cognitivo incluiu um teste de mapeamento neurológico que se somava a uma pequena avaliação através de exame do estado mental. Eles foram administrados junto com os exames médicos e odontológicos, a cada três anos.

Obtiveram o resultado que em média, as pessoas com todos os seus dentes naturais tiveram um “estado cognitivo” significativamente melhor do que aqueles que sofreram com as perdas dos dentes e daqueles que apresentavam mais comprometimentos da cavidade bucal.