Enxaqueca crônica e o tratamento com Botox

A enxaqueca crônica que também pode ser chamada de migrânea crônica, é caracterizada por uma dor de cabeça que ocorre em mais de 15 dias por mês, por um período maior que três meses, sendo que durante 8 dias no mês ou mais, as dores preencham os critérios de enxaqueca. A dor apresenta características típicas de crises de enxaqueca, geralmente sentida apenas de um dos lados ( mas também pode ser sentida bilateralmente), sendo latejante e pulsátil, podendo ou não estar acompanhada de náusea e vômito.

A pessoa que sofre de enxaqueca fica muito sensível à luz e aos sons. Preferindo ficar em locais menos iluminados e mais silenciosos. Tanto a luz, como os sons, aumentam a sua dor.

A enxaqueca é causada por alterações químicas do cérebro que podem ser provocadas por uma série de gatilhos, incluindo estresse, clima, luzes e odores. Entretanto seu tratamento não pode ser feito de forma descomprometida e sem o acompanhamento de um especialista, pois quando mal tratada, alguns fatores podem cronificar a dor, como por exemplo:

Dores de cabeça muito frequentes, podem se tornar crônicas
– Abuso de analgésicos
– Problemas psiquiátricos, principalmente ansiedade e depressão
– Problemas pessoais, como separação, finanças, perda de familiares etc
– Obesidade
– Distúrbios do sono, principalmente o ronco
– Consumo excessivo de cafeína

Atualmente a toxina botulínica (Botox)  tem sido muito benéfica para o tratamento profilático da enxaqueca crônica. Este tratamento, aprovado pela ANVISA, atua bloqueando a sensibilização periférica, podendo reduzir a sensibilidade central, induzindo modificações no sistema nervoso central e assim, atuando na cascata de dor.

A aplicação do Botox em pacientes enxaquemicos é indicado para:

– Pessoas que demonstrarem ausência de melhora com farmacologia preventiva

– Pessoas que sofreram efeitos adversos graves e intoleráveis a medicamentos preventivos

– Pessoas que se recusam a tomar medicações diárias

– Contra- indicações a terapia de enxaqueca aguda

– Melhor aceitação de tratamento quando comparado ao uso contínuo de medicação

– Pessoas que procuram menor custo em relação a outros tratamentos.

– Evitar efeitos colaterais quando comparado à terapias convencionais.

O procedimento é bem simples, são feitas aplicações em alguns pontos específicos e as sessões devem ser repetidas entre 3 e 6 meses por no mínimo dois a três ciclos. 

Este tipo de dor de cabeça causa um grande impacto na qualidade de vida das pessoas, podendo causar depressão, ansiedade, dor crônica e maior prevalência de alteração do sono, transtornos respiratórios, colesterol alto e obesidade. Por isso, procure sempre o melhor tratamento para você e sua família!

Comer muito rápido faz mal para a saúde

Comer lentamente, saboreando cada mordida e sem distrações pode parecer um luxo para muita gente. Mas é fundamental para a saúde, segundo um estudo apresentado na conferência anual da Associação de Cardiologia dos Estados Unidos.

Devorar os alimentos não dá ao cérebro tempo suficiente para registrar que estamos satisfeitos. E aumenta em cinco vezes o risco de uma síndrome metabólica, caracterizada por um conjunto de fatores de risco relacionados a doenças cardiovasculares e diabetes, como obesidade, pressão alta e taxas elevadas de colesterol.

A pesquisa, conduzida pela Universidade de Hiroshima, no Japão, acompanhou por cinco anos 642 homens e 441 mulheres saudáveis. Eles tinham 51 anos quando o estudo começou, em 2008.

Os participantes foram divididos em três grupos, de acordo com a velocidade que ingeriam os alimentos. O resultado? 11,6% daqueles que comiam mais rápido desenvolveram síndrome metabólica, bem acima dos índices observados nos outros dois grupos – entre os de velocidade média, o percentual foi de 6,5%, e os mais lentos, 2,3%.

Tudo indica que “comer mais devagar seria uma mudança de hábito crucial para prevenir a síndrome metabólica”, afirma o cardiologista Takayuki Yamaji, que liderou o estudo.

“Quando as pessoas comem muito rápido, fazem isso de forma exagerada, porque não se sentem saciadas. Isso também causa variações no nível de glicose, que podem levar a uma resistência à insulina.”

A síndrome metabólica tem como base a resistência à ação da insulina, responsável por regular o açúcar no sangue, o que obriga o pâncreas a produzir mais esse hormônio.

Um estudo anterior já havia indicado que comer devagar é uma estratégia eficaz para perder peso.

A pesquisa, realizada pela Universidade da Carolina do Norte, constatou que obesos que praticaram técnicas de mindfulness (estado de atenção plena) perderam 2 quilos em duas semanas, enquanto quem continuou a comer rápido emagreceu 300 gramas.

“Nosso estudo sugere que há uma associação entre comer com atenção plena e perda de peso”, destacou a pesquisadora Carolyn Dunn, principal autora do estudo.

Ela e seus colegas aconselham não comer em frente à televisão nem na mesa de trabalho.

As recomendações estão alinhadas a práticas budistas milenares e de outras tradições para as quais comer com plena consciência é uma forma de meditação.

Fonte: BBC

Consumo de três xícaras de café pode ser bom à saúde

O consumo de três ou quatro xícaras diariamente está associado a uma menor probabilidade de desenvolver problemas cardiovasculares como ataques do coração e derrames cerebrais, de acordo com pesquisa.

Se comparados aos que não bebem café, o risco de desenvolver doença cardíaca para os que consomem regularmente a bebida é 19% menor. No caso de morte por derrame, o risco chega a ser 30% menor.

Também há uma associação positiva entre o consumo de café e um menor risco de desenvolver alguns tipos de câncer e doenças do fígado.

As evidências, contudo, indicam que mulheres grávidas e as propensas a fraturas ósseas devem evitar a ingestão de cafeína uma vez que, para esses dois grupos, foram identificados mais malefícios que benefícios.

Apesar de apontar que beber uma quantidade moderada é melhor que ficar sem café, os pesquisadores alertam que as pessoas não devem começar a consumir a bebida apenas se pretendem evitar doenças. E esqueça acompanhamentos! Os pesquisadores aconselham evitar cremes e bolos que normalmente acompanham a bebida.

As descobertas respaldaram outras pesquisas recentes e trazem uma mensagem reconfortante para os que gostam de tomar café.

Para adultos em geral, o consumo de até 400 miligramas de cafeína por dia não traz malefícios, dizem os pesquisadores. O café, no entanto, não é o único item que possui cafeína. Energéticos, chocolate, coca-cola, e alguns tipos de chá também contém o composto químico que funciona como estimulante.

De uma forma ou de outra, tomar café diariamente, VAI escurecer seus dentes. Com certeza!!

Então, se quer evitar doenças tomando café, seria melhor praticando esporte e tendo uma vida com alimentação mais saudável.

Agora, se não consegue ficar sem seu cafezinho diariamente, então espero uma sua visita todo ano para um clareamento dental.

Tô te esperando! Vem tomar um café comigo. Você é meu convidado.

Fonte: BBC

Perda de dente pode ser resolvida rapidamente pelo dentista

A perda do dente, além de prejudicar o sorriso, também leva a problemas de fala e nutrição

No Brasil há ainda muitos casos de adultos com “janelinhas”. Os dentes e o sorriso são o nosso cartão de visita, mas eles não estão na boca só para mastigar: eles interferem no posicionamento da língua, na fala e até na postura corporal”, analisa a odontopediatra Mirna Matoba (CRO-SP 41.201), da Clínica Matoba. Os tratamentos são variados e o resultado, hoje, é muito mais natural do que as antigas dentaduras e coroas.

Detetive dos dentes: veja quais alimentos são realmente bons para a saúde bucal

As causas para a perda do dente tendem a variar conforme a idade: pessoas mais jovens sofrem mais com traumas, como quedas ou acidentes de moto ou de bicicleta.

Alimentos muito frios ou muito quentes provocam sensibilidade quando a boca já apresenta um dos outros fatores citados anteriormente
iStock

Alimentos muito frios ou muito quentes provocam sensibilidade quando a boca já apresenta um dos outros fatores citados anteriormente

“A cárie ou a doença periodontal também podem levar a perda do dente. A cárie causa uma cavidade no esmalte do dente. Se a cavidade for muito grande não é possível reaproveitar nem o dente, nem a raiz”, explica a odontopediatra.

“Nos pacientes mais idosos também pode estar vinculado ao trauma e problemas periodontais, que podem levar à perda óssea contínua, com o avanço da doença periodontal. A inflamação contínua do tecido periodontalleva a perda de osso ao redor do dente, isso faz perder o suporte ósseo que leva a perda do dente”, avalia André Barros de Held (CRO-SP: 87.035), mestre e professor de Implantondia da Faculdade de Medicina e Odontologia São Leopoldo Mandic.

O primeiro estágio da doença periodontal é a gengivite, uma doença silenciosa que não causa dor, mas provoca o sangramento durante a escovação.

Como a deficiência de cálcio e de vitamina D pode afetar seus dentes

“Quando você perde um dente, funciona como uma engrenagem na boca, os dentes vizinhos começam a tentar compensar o que foi perdido, começam a se mover, a entortar, a tombar e, existe, ainda, o risco de outro dente cair. Não vai ficar localizado só naquele dente”, alerta Mirna.

Perda de dente tem conserto

Para resolver o problema de perda do dente, o dentista irá avaliar caso a caso, mas as soluções podem incluir a necessidade de tratamento ortodôntico, o uso de próteses.

Se o dente acabou de “cair”, é possível recolhê-lo e leva-lo ao dentista em até quatro horas – nesse intervalo, o dente ainda tem chances de ser reimplantado. A mesma regra vale se o dente quebrar. Passado esse período, o dente natural vai servir apenas como referência para os tratamentos executados pelo especialista.

O dentista irá avaliar o uso de implantes.“O implante é uma peça semelhante a um parafuso, que vai dentro do osso, para suportar uma prótese unitária ou múltipla. Há as próteses [pontes] fixas, que ficam presas a outro dente, e as próteses removíveis – o dentista irá avaliar a mais indicada em cada caso”, comenta André.

Leia também: Veja quais são os alimentos que ajudam a fortalecer os dentes

Com o tratamento, é possível recuperar completamente a função por meio do dente substituto. Apenas, haverá uma diferença quanto ao tato, já que o novo dente não terá o ligamento periodontal.

Fonte: Saúde Bucal – iG @ http://saudebucal.ig.com.br/higieneoral/2017-09-01/dente.html

Compartilhe:

8 fatos essenciais sobre o check-up odontológico

Fazer o check-up, no mínimo uma vez por ano, garante um sorriso bonito e saudável por toda um vida

O check-up odontológico é a primeira etapa de qualquer tratamento de saúde bucal. Como acontece com as demais consultas de rotina, ele irá avaliar o quadro geral da boca do paciente e revelar possíveis doenças. Se realizado conforme a regularidade pedida pelo seu dentista, eventuais problemas serão diagnosticados em seu princípio, facilitando tanto o tratamento quanto o resultado final: um sorriso bonito e saudável por toda vida.

1.    O que é um check-up odontológico? Check-up na saúde bucal é o nome pelo qual também é conhecida a consulta de rotina, na qual o dentista irá avaliar a saúde dos dentes, do periodonto, da língua e da mucosa oral

2.    Existe um intervalo ideal para fazer o check-up odontológico?  Os especialistas avaliam que o intervalo pode oscilar entre uma vez a cada três meses até uma consulta por ano. O que é o determinante para a frenquência é a qualidade da sua saúde bucal (quanto à existência de cáries ou alterações na gengiva, por exemplo) e a presença de doenças sistêmicas, como a diabetes, que têm impacto na boca.

3.    Precisa esperar o dente doer para agendar o check-up? Jamais, pois a sintomatologia dolorosa, via de regra, se apresenta quando a doença cárie já se aproximou demasiadamente da polpa, o que pode resultar em tratamento de canal ou outro que envolva maior perda de estrutura dentária. Além disso, a principal doença da gengiva, a gengivite, normalmente é indolor, tendo como principal manifestação, o sangramento.

4.    O que o dentista analisa nessa consulta de rotina? Nessas consultas são facilmente diagnosticadas cáries, doença periodontal e má oclusão. Outro alerta bem importante que pode ser observado são lesões da mucosa oral que podem gerar suspeitas de um câncer bucal, por exemplo. Se houver essa desconfiança, o profissional encaminhará o paciente para os exames apropriados.

5.    Quais doenças podem ser diagnosticadas no check-up odontológico?  Gengivite (inflamação da gengiva), periodontite (quando a gengivite já se encontra em grau avançado), lesões bucais, manifestações de doenças sistêmicas (como diabetes descompensado e até leucemia), mau hálito, boca seca (xerostomia).

6.    Durante essa consulta, o dentista já irá realizar algum procedimento? O exame físico não costuma doer e por isso não requer anestesia. A exceção é quando o paciente tem periodontite e o dentista precisa medir as bolsas periodontais com instrumentos. O especialista pode pedir radiografias e fazer uma profilaxia (limpeza) para facilitar a visualização de possíveis lesões nos dentes.

7.    O dentista repara se o dente está sujo. Ele irá, de fato, perceber a situação,  Ele irá explicar o que é a placa bacteriana, orientar o paciente quanto à higienização adequada e cobrar um melhor cuidado nas próximas consultas.

8.    O dentista irá cobrar pelo check-up odontológico? A prática varia entre os profissionais, mas a recomendação do Conselho Regional de Odontologia é para que essa consulta seja sim cobrada pelo dentista, pois também trata-se de um procedimento.

Fonte: Saúde Bucal IG

Distração Osteogênica. Você sabe o que é isto?

Olá.

Fazia tempo que eu não escrevia aqui no blog, né?!
Estava com saudades de escrever!

Mas hoje, vou mostrar um video de um programa da Rede Globo de televisão, o BEM ESTAR.

Lá, falei sobre uma forma de crescer osso. Uma forma de estimular o crescimento ósseo em nosso organismo com a intenção de se colocar implante dentário posteriormente. Não é o mesmo que fazer enxerto ósseo. Mas cresce ainda mais osso. Uma ótima opção para quem precisa passar por este tipo de procedimento.

Vale assistir este vídeo clicando aqui

Um forte abraço